Posted by on Jan 24, 2013 in conceito | 25 comments

Um dia me disseram
Que as nuvens não eram de algodão
Um dia me disseram
Que os ventos às vezes erram a direção…

(Engenheiros do Hawaii)

Um dia me disseram que eu não seria ninguém na vida, lembro até hoje de uma professora de inglês de colégio que debochou da educação que minha mãe havia me dado. Diferente dela, me tornei um aluno querido por todos os professores no ensino médio, um dos melhores alunos no ensino superior e um aluno e profissional respeitado na pós.

Um dia me disseram que eu não sabia tocar nenhum instrumento e que era horrível para música. Sendo verdade ou não, me diverti muito com ela, toquei com amigos no colégio, enquanto muitos podiam rir por eu tocar mal, eu me divertia MUITO pelo momento. Em 2004 tive uma banda de mpb/pop rock e por mais que pudessemos não ser tão bons, vivemos 2 anos enchendo o bar que tocávamos e todo sábado nos divertíamos mais que tudo com nossos verdadeiros amigos.

Um dia me disseram que eu passava muito tempo no computador, que devia deixá-lo de lado se quisesse me tornar alguém na vida. Mal sabiam eles que o mesmo evil computador me daria uma razão e orgulho para viver, onde pude não só basear minha carreira como inventar coisas e fazer amigos.

Um dia me disseram que eu não podia ser radical e falar o que penso, que devia evitar discussões. Vejo hoje que essa minha postura foi fundamental para me comprometer a estudar mais que os outros para poder sustentar minhas ideologias, criar mecanismos de defesa inteligente e sempre manter a discussão com focos profissionais ou ideológicos, sem nunca ofender ou ultrapassar a barreira pessoal.

Um dia me disseram que empresa X não gostava de mim, que eu era queimado na empresa Y. O que não sabiam era que muitos dos profissionais que trabalhavam lá são os mesmos que lêem meus artigos, vem falar comigo depois das minhas palestras e utilizam algumas técnicas popularizadas por mim.

Um dia me disseram que eu não devia brincar com as minhas palestras, que palestra técnica boa era palestra séria e focada no conteúdo. Talvez em 90% dos casos essas pessoas estavam certas, mas Hey! porque eu não posso ser da turma do 10%? Acredito que até hoje tem funcionado.

E tudo ficou tão claro
Um intervalo na escuridão
Uma estrela de brilho raro
Um disparo para um coração

Não deixe ninguém direcionar sua vida para uma mão contrária. Continue remando para direção que sua alma mandar e o brilho virá, seja na cor que for. A vida é muito curta para fazermos o que não gostamos. Não basta gostarmos do que fazemos e sim nos esforçarmos o bastante para gostarmos do que fizemos (resultado). Parece muito fácil falar isso de cima, mas a vida é feita de marcos e comemorações, não esqueça de comemorar sempre.

Tenho momentos memoráveis que até hoje são importantes para mim como ter perdido minha timidez com 11 anos de idade, ter entrado na faculdade de publicidade aos 17 anos, ter lecionado por 3 anos Front-end na faculdade CCAA, ter dado minhas primeiras 3 palestras em 2008, sendo uma delas no EDTED Rio de Janeiro. Tudo foi conquistado com a ajuda de muita gente importante, mas também, e principalmente, com MUITO esforço da minha parte.

Você é a diferença, você pode ser a estrela de brilho raro citada na música, não a desperdice com algo que não dispare o seu coração, é isso que promovemos quando eu e Zeno dizemos na palestra “Não faça freela”. Muitos precisam, muitos pretendem abrir agencias, mas muitos são fracos e tem medo de abandonar o freela e ficar para trás. Isso me faz lembrar uma frase que li hoje em uma carteirinha do “centro de parapsicologia e controle mental joseph murphy” do meu avô no canto da sala que cita a famosa frase: Os fracos não tentam, os covardes desistem no meio do caminho, só os fortes alcançam o objetivo. Qual o seu objetivo com freela? Ganhar mais? Até quando? Qual a sua meta? Qual o seu objetivo trabalhando na agencia que você sempre reclama? E você funcionário público que está sendo sub-utilizado? Saibam que o que diferencia um peão de xadrez de um bispo não é o tamanho e sim que o peão só anda na diagonal quando precisa comer uma peça.

Um dia me disseram
Quem eram os donos da situação
Sem querer eles me deram
As chaves que abrem essa prisão

Assim como muitos, eu tinha e tenho ídolos, pessoas que quando era mais novo ouvia que nunca conseguiria chegar ao mesmo nível, muitos que eu mandava email e não me respondiam, ou me respondiam com descaso ao meu aprendizado. A minha sede por informação e crescimento não diminuiu, pelo contrário, me mostrou a linha que eu iria ultrapassar, com uma única diferença, não me faria ser o inacessível, continuaria sendo acessível por todos, carinhoso com todos, estendendo a mão para quem precisa, seja de um lugar para ficar, de uma informação, uma motivação, uma foto, um autógrafo, uma doação, uma citação em palestra, uma palavra. Sim, hoje eu sou a referência, e sabe como eu sei disso? Porque eu trabalhei para isso.

Uma frase que eu digo para muitos é para não tentar ser como eu e sim querer ser melhor que eu, lembrem-se a partir do momento que eu cruzo a linha, eu passo a ser a linha. Eu não tenho nada de melhor que vocês, ninguém tem, um dia eu terei o prazer de estar trabalhando com vocês, mediando uma mesa redonda de vocês, assistindo na platéia vocês, vendo um vídeo de vocês, aplaudindo vocês.

E tudo ficou tão claro
O que era raro ficou comum
Como um dia depois do outro
Como um dia, um dia comum

Das 4 palestras que dei em 2008, em 2012 foram mais de 20 palestras, só em 2013 já tenho mais de 6 palestras marcadas. Preparar material, estudar os pontos altos da palestra, criar piadas, fazer apresentação, preparar a viagem, descansar, socializar no evento, dar um show! Isso tudo se tornou um processo comum, mas a excitação continua como se fosse a primeira palestra para 20 pessoas. Viva a excitação, pois é ela que me faz me divertir em cada palestra que eu dou, para 5, 10, 50, 100, 200, 500, 1000 pessoas. Eu já animei festa em cima de um trio eletrico para mais de 1000 pessoas no dia das crianças, eu já me fantasiei de Papai Noel para mais de 2000 pessoas, acredite, eu sei como é a sensação.

Nós
Somos quem podemos ser
Sonhos que podemos ter

Sempre disse que quando a gente é bom(qualidade e bondade) papai do céu nos ajuda e nos dá mais(seja quem for o seu papai do céu). Sei que sou bom no que eu faço, olho todos os dias no espelho e falo “Eu sou muito bom no que eu faço”, convido você a fazer o mesmo, se hesitar, provavelmente você precisa melhorar, mas quando você chega lá e fala com confiança o quanto você é bom, a sensação é tão incrível que você vai querer ser bom para sempre, nunca vai se acomodar. Então, eu não me acomodei e tenho um novo desafio pela frente, ser um dos speakers em um dos maiores eventos de Front-end do mundo, o HTML5 Developer Conference em San Francisco. É mais um desafio e posso dizer que não estou preparado, mas tenho dois meses para chegar no espelho e falar “Eu sou muito bom no que eu faço” e arrasar.

Se um dia me disseram, peço desculpas, mas vocês estavam enganados!